Novas regras vão reduzir valor de seguro de carros

Na hora de adquirir um veículo, além do custo, é preciso pensar no valor do seguro. Afinal, acidentes podem ocorrer, além de ter o mesmo furtado ou roubado. Pagar cerca de R$ 3 mil por ano, além das parcelas do veículo,  está fazendo com que uma parcela dos motoristas recorram cada vez mais a locadoras ou aplicativos como o Uber ou 99. O alto preço do combustível e a manutenção de um carro também pesam nessa balança.

Contudo, há um grupo que não abre mão do carro para se locomover. Porém, o alto custo das apólices de seguro, muitas vezes, faz com que este grupo conte com a sorte e não recorra a essa garantia. De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito, 84% da frota brasileira não está segurada. Com o objetivo de ampliar o acesso aos seguros veiculares, a Superintendência de Seguros Privados (Susep) irá flexibilizar regras e critérios.

A nova norma, que entra em vigor no dia 1º de setembro, permite, por exemplo, que o seguro seja personalizado. O dono de um veículo antigo que não considere vantajoso contratar cobertura para furto e roubo poderá optar apenas pelo seguro para acidentes, como colisões e incêndios, pagando mais barato.

Também será possível vincular o seguro ao condutor, ao invés do veículo. Desse modo, todos os carros que um motorista específico dirija estarão com a garantia ativa. O produto é ideal tanto para o motorista por aplicativo que costuma alugar carros para trabalhar, quanto para o jovem que não possui carro próprio mas aluga um ocasionalmente ou dirige o de amigos e familiares.

Essa é a chamada cobertura de responsabilidade civil, a qual, inclusive, poderá ser contratada de forma exclusiva.

Outra novidade é a cobertura parcial. Ao invés de optar por receber o valor total do carro em caso de sinistro, o segurado poderá escolher ser reembolsado com a metade do valor. Ao dividir o risco com a operadora, ele também irá pagar mais barato no contrato.

Segundo a Comissão de Automóvel da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), espera-se que as mudanças anunciadas pela Susep contribuam para levar inovação e competitividade ao mercado, permitindo ampliar a base de segurados a partir de produtos ajustados às necessidades do consumidor.

As principais mudanças no seguro de automóveis:

  • Cobertura de casco (lataria, mecânica, vidro, elétrica etc.) pode ser feita para um ou vários diferentes tipos de riscos escolhidos (furto, roubo, colisão, incêndios);
  • O seguro do automóvel pode ser contratado em “combos” com outros tipos de seguro, como residencial e empresarial;
  • Seguro auto poderá ser contratado sem a identificação exata do veículo segurado, permitindo seu uso em veículos alugados, compartilhados, carros por assinatura;
  • Passa a ser permitida a cobertura parcial do veículo, acabando com a obrigatoriedade da cobertura total;
  • Seguradoras poderão prever reparo do veículo exclusivamente em oficina de rede referenciada da seguradora;
  • Seguradoras poderão cobrar franquia em casos de indenização integral ou por incêndio, queda de raio e explosão, o que antes era proibido.

Fonte: Rede Jornal Contábil .

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Ligue para nós!
Iniciar Conversa
1
Podemos ajudar?
Olá! Como posso te ajudar?
Clique na seta abaixo para iniciar uma conversa